6 de dez de 2008

Consultório sentimental do Ogro: os maridos, as mulheres e o futebol

Da Silva, meu velho, como posso fazer minha mulher se interessar mais por futebol? (Bom Marido, São Paulo - SP e mais outras 431 mensagens)
*

Ainda não somos maioria, mas muitos homens têm a felicidade de, assim como eu, ter uma mulher que se interessa minimamente por futebol. Eu tenho que admitir que fico de pau duro quando vejo minha esposa explicar para as amigas, de forma correta e pormenorizada, a regra do impedimento. Pobre do cara casado que nunca experimentou essa sensação.
*
Já é bastante animador, portanto, perceber que já há muitas mulheres que não só não rejeitam como participam ativamente do sagrado ritual dominical de assistir aos jogos, seja em casa ou nos estádios.
*
O grau de interesse por futebol varia de mulher pra mulher, mas ele oscila invariavelmente entre cinco estágios facilmente identificáveis. Em mais um esforço pela concórdia nos lares, O ogro aqui fornece uma descrição sucinta destes estágios, além de uma análise sobre os problemas inerentes a cada um deles e estratégias pra fazer sua cara-metade avançar de fase. Boa sorte!
*
Estágio 1: A negação absoluta
*
É quando mulher diz que odeia, não suporta futebol e quer que morra todo mundo que gosta, joga e assiste. É muito comum em mulheres mais velhas, traumatizadas por décadas de opressão machista, onde só lhes cabia o papel de garçonete do marido e dos amigos durante as transmissões esportivas. E elas bem que se esforçam para transmitir a rejeição às filhas.
*
Como proceder: Em primeiro lugar, faça todo o possível para rarear as visitas à casa dos sogros (isso, aliás, é recomendável por várias outras razões). Além disso, faça ver a indigência das alternativas televisivas nos dias e horários de futebol na TV. Na maioria das vezes, quem abre mão do futebol fica exposto a programas de auditório, novelas ou reality shows. E, durante um tempo, não vá ao estádio; Do jeito que ela tem raiva disso, periga ela lhe dar um pé na bunda ou cornear você só de vingança.
*
Estágio 2: A fuga
*
Se não é um grande avanço, pelo menos torna a convivência mais fácil. É quando a mulher ainda não demonstra um pingo de entusiasmo, mas já não reclama. É a indiferença, em lugar da aversão. Costuma ser problemático, entretanto, na medida em que a mulher indiferente ao futebol vai buscar alternativas de lazer que podem ser onerosas, como um passeio no shopping com as amigas. Ou pior, ela pode passar a tarde na casa dos pais, sofrer uma lavagem cerebral da mãe e voltar cheia de implicâncias para com os seus hábitos de ogro.
*
Como proceder: Tente oferecer, você mesmo, alguma alternativa barata e sadia ao futebol. Algum livro, revista ou Cd interessante para ela apreciar enquanto você vê o jogo, por exemplo. Também não dê motivo para a indiferença virar raiva. No caso de assistir ao futebol em casa, pegue você mesmo as suas cervejas. E, tendo ido ao estádio, não chegue muito bêbado, não faça muito barulho nem muita sujeira. Se não é contra nós, já está a nosso favor. Pelo menos é o que diz a Bíblia.
*
Estágio 3: A Copa do Mundo
*
São muitas as mulheres que dizem não gostar de futebol mas dão, entretanto, uma olhadinha na TV em época de Copa do Mundo. Já é um grande avanço em relação aos dois estágios anteriores, mas expõe você às bobagens típicas de quem não tem familiaridade com o esporte.
*
Como proceder: Paciência absoluta com perguntas inoportunas sobre o esporte e seus regulamentos. Comentários estapafúrdios sobre uniformes ou beleza física dos jogadores também devem ser solenemente ignorados, sob pena de vocês discutirem e ela regredir a algum dos estágios anteriores. Ouvidos moucos são essenciais para essa fase ser superada.
*
Estágio 4: Ela tem time!
*
Agora está ficando interessante. Ela assiste e opina sobre futebol, e não só de quatro em quatro anos. Ela já tem até time, e xinga o juiz se ele for prejudicado. Essa fase só tem um problema básico: esse time pode não ser o seu, o que já fez muitos homens desejarem que suas mulheres voltassem para as fases 1, 2 ou 3.
*
Como proceder: Se ela torce pelo seu time, é só assistir aos jogos com ela, relaxar e gozar. Se não for esse o caso, melhor ir devagar nas provocações. Nem pense em usar o mesmo tom que normalmente usa com torcedores de outros clubes, pois haverá um day-after, quando vocês terão que conviver. Já se imaginou passando o resto dos seus dias morando junto com aquele babaca do prédio em frente a quem você mandou enfiar na bunda a bandeira com mastro e tudo depois que o seu time arrasou o dele? Pois, é, não daria pra ser feliz. No mais, seja bem técnico nas análises e torça pra ela ainda entender de futebol menos que você.
*
Estágio 5: O jogo neutro.
*
O céu. Ela não só assiste aos jogos do time para o qual ela torce (se Deus quiser, o mesmo que o seu) como também consegue assistir a outros jogos. Finalmente você pode se dar ao luxo de sentar com a sua cara-metade para assistir a Austrália x Lituânia, por exemplo. Quando uma mulher consegue entender nossa urgência em assistir um jogo de futebol com equipes e jogadores dos quais nunca ouvimos falar, ela nos entende completamente.
*
Como proceder: Não acorde, é possível que seja um sonho.
*

10 comentários:

Menina de óculos disse...

Eu consigo assistir jogo de futebol da Lituânia, eu tbm tenho time de futebol de preferência. Mas eu confesso que finjo que num sei de nada. É melhor...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Eu me divirto demais aqui...

rsrsrsrsrsrsr

Mauro Sérgio disse...

A minha já está no estágio 4, mas dificilmente chega no 5.

' Sofih! disse...

Eu amo futebol. Todas as mulheres de minha casa gostam de futebol sempre. Nossa casa pára na hora de jogo!

Bjssssssss

Euzinha disse...

Meu namor é um cara de sorte: tem uma mulher estágio 4 e 5 com ele!

°° Desequilibrada °° disse...

Definitivamente...
I HATE FUTEBOL!!!
=D
bjuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Thaís disse...

Acho que tou no estágio 3.

Prefiro Austrália x Lituânia a Juventude x Náutico (se é que isso existe). Jogos neutros estressam menos os fanáticos.
O irritante do futebol é mais o narrador (principalmente se for o Galvão Bueno) e os bêbados na rua do que um ou outro espectador dentro da família.

Deisy disse...

bom, no meu caso é o contrério... eu adoro futebol e meu namorado não ta nem ai... tbm sei explicar um empedimento...sahashsahsa

gostei do post

Tássia Jaeger disse...

Valeu pelo comentário. Apareço mais vezes! Gostei daqui. Abraços!!!

Sâmia disse...

Caraca, muito bom!

Mas isso me lembra o Brasileirão de 2004. Meu casamento acabou algumas horas após a final do campeonato, em que nosso time foi o vencedor. E, talvez, tenha acabado justamente por isso.

Nem tudo são flores num relacionamento futebolístico a dois. Ou, eu é que dei muito azar...

Monique Lôbo disse...

Rsrsrsrsrs!!Pelos requisitos avaliados nesse post, euzinha me encaixo no estágio 3!rsrsrs! Não entendo nada de nada, só assisto aos jogos na Copa e fico falando um monte de besteira!rsrs!!
Adorei esse post!

Bjãoo