4 de nov de 2008

Pagando meus pecados

Eis que eu me vejo em meio a uma experiência mística. Entro em transe e, quando dou por mim, estou de volta a uma de minhas vidas passadas. O ano é 33 D.C. e eu estou em algum lugar do Oriente Médio, vestido como um centurião romano. Próximo a mim estão dois ladrões crucificados e, entre eles, está subindo uma terceira cruz, de um judeu de Nazaré metido a profeta, pelo que dizem.
*
Bem, eu não estava fazendo nada, meus colegas já tinham praticamente terminado o serviço. E como cabeça vazia é oficina do cão, eu resolvi apurar a minha pontaria catando pedrinhas e acertando nas cruzes, exatamente como faz uma parte da multidão que se aglomera por ali. Na terceira tentativa, pof! Acerto o tal profeta nazareno bem na testa. Ao chegar perto da cruz pra avaliar a precisão do arremesso, posso ouvi-lo dizer nitidamente em bom aramaico (que eu transcrevo depois de uma tradução livre):
*
_ Vai ter volta, filhadaputa! Deixa quieto que eu te pego na curva, seu viado!
*
Corta o flashback. Volta pra 2008. É 01 de novembro, dia do jogo Flamengo x Portuguesa e eu já saí do meu transe. E agora eu entendo qual é a razão de eu estar nas cadeiras azuis do Maracanã vendo o Obina, gordo e desajeitado como uma foca, tentar dominar a bola sem sucesso e ainda cair sozinho. Eu estou expiando maldades feitas em vidas passadas!
*
Não há outra justificativa para eu dar 20 reais num ingresso e perder um sábado de sol forte e céu obscenamente azul vendo o Ibson errar mais um passe. Deve ser o milésimo, não sei como ainda não fizeram uma placa comemorativa. Podiam botar o pé dele (torto) na calçada da fama do Maracanã enquanto ele dedica o milésimo erro de passe aos familiares, aos amigos, às criancinhas pobres e a todo mundo que sempre o apoiou.
*
Não bastasse o pífio futebol apresentado pelo rubro-negro contra a Portuguesa no último sábado, a ida ao Maracanã ainda guardou outras modalidades de sofrimento. Fiquei com os cornos ao sol, no calor senegalês característico do verão carioca, alimentando-me apenas de um cachorro-quente superfaturado que tinha salsicha e pão como ingredientes únicos. E toda a cerveja à venda, obedecendo a uma determinação da CBF, era (puta que pariu) SEM ÁLCOOL!
*
O resultado, um insosso 2 a 2, praticamente sepultou as chances de o Flamengo ser campeão. Sinceramente, depois de tudo isso, acho que eu já posso entrar no céu pela porta da frente sem o anjo da portaria me fazer perguntas.

7 comentários:

Euzinha disse...

Eu, gremista fervorosa e doente que sou, fui no jogo do meu tricolor no domingo e fiquei com a mesma sensação de "tô pagando meus pecados" que tu. Porém nossa maior diferença são nos valores dos ingressos. Arquibancada custa R$30,00, mas como sou sócia, pago a mixaria de R$50,00 por mês. Outra difrença está no cachorro quente. O do Olímpico foi eleito o melhor "dog" de estádio no Brasil - e eu garanto: ele é ótimo e completo! Uma pena que aidna falte a ceva gelada e com álcool pra acompanhar...

Samuel Bryan disse...

meu Deus, eu ri óh
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
é assim mesmo rapaz, a tendencia é piorar
e vamo q vamo flamengo que tu so traz mais alegria ao meu coração palmeirense
uhauahauhauha

Mauro Sérgio disse...

Eu também fui nesse jogo! Impressionante como o time é bem pior ao vivo.

Cara de 30 disse...

Você conhece o significado da palavra respeito? Ah... Desculpe, você é fRamenguista, né?! Não costuma saber significado de palavras mais complicadas...

Então vou te explicar: respeito é entrar no blog dos outros e, mesmo que discordar das opiniões, respeitá-las! Você pediu uma coisa que não conhece... Pediu que respeitassem o seu fRamengo. Mas, primeiro, desrespeitou a minha torcida. Então...

Mas tudo bem "amigão", teu comentário tá lá. Eu autorizei ele... Só queria te perguntar onde você leu que a maioria é burra... Em algum lugar cheio de "mulambentos dos fRamengo"? Deve ter sido...

Abração, mulambo.

Da Silva disse...

Quem subverteu a frase do prórpio Nelson Rodrigues foi um visitante do seu blog, parceiro.

No mais, é isso aí. Quando eu falo do preconceito das outras torcidas em relação à do Flamengo (por conta da maioria ser de negros e pobres) preciso de exemplos. por isso, seu comentário fica aqui, bonitinho.

Mauro Sérgio disse...

Fala sério, Da Silva! Fica tirando uma de ogro, mas foi todo delicado o botafoguense aí de cima! Rasga logo, desanca ele e o time dele aí no teu blog, cara!

Abraços!

Da Silva disse...

Êpa, ôpa, upa! briga aqui no meu cafofo, não.

Calma aí, Maurão. O que acontece é que topei com o blog desse cara e, pra variar tinha uma penca de posts preconceituosos com a torcida do Flamengo, aqueles de sempre. Vc sabe q eles não zoam sem agredir.

Tinha uns dois ou três comentários apoiando. Inclusive o de um outro idiota que disse que a "maioria é burra" e atribuiu a frase ao Nelson Rodrigues.

Bem, eu corrigi a frase (antes que o fantasma do Nelson fosse assombrá-lo), cobrei respeito à torcida do Flamengo e disse que a torcida dele é pequena. O que, antes de ser uma zoação, é um fato.

Foi o suficiente para ele aparecer por aqui e fazer um comentário que me dá razão, ponto por ponto. Por isso que eu deixei barato. O próprio comentário dele se responde.

No mais, que a paz volte a reinar aqui no meu pantâno.